Mulher vai parar na UTI com lesões gravíssimas e morre, após fazer algo no corpo que muitas desejam

Sabemos que muitas mulheres sonham em melhorar o visual do corpo, e muitas vezes cometem até loucuras para ficar mais bonitas. No entanto, as cirurgias de estéticas oferecem alguns riscos a saúde, principalmente quando realizadas por médicos poucos qualificadas. 

Uma mulher identificada como Ronilza Johnson, infelizmente morreu após passar por uma cirurgia de aumento de bumbum em uma clínica clandestina de Goiás, ela estava em estado grave na UTI do Hospital Municipal de Anápolis desde que apresentou reações ao procedimento.

De acordo com informações da polícia, o biomédico , Lucas Santana, se apresentou a Ronilza, como médico e teve a ajuda de um estudante de medicina, Thierry Cardoso, para fazer os procedimentos no bumbum , rosto e outras partes do corpo de Ronilza. 


A polícia tomou conhecimento do caso após saber que uma vítima estava internada em um hospital de Anápolis, cheia de lesões decorrentes de um tratamento estético a que foi submetida.

Os médicos informaram a polícia que a lesões da vitima eram gravíssimas, com muita chance de óbito da paciente, com isso, o inquérito acusa os autores do procedimento pelo crime de prática ilegal da medicina. 

Os dois suspeitos foram indiciados por lesão corporal seguida de morte, além de exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica. Ronilza Johnson, estava de passeio no Brasil, na casa dos pais, quando recebeu indicação de amigos para fazer o procedimento por R$ 9 mil.

O biomédico usou uma substância chamada polimetilmetacrilato, mais conhecido como PMMA, para realizar o enchimento do bumbum no corpo de Rozilda. No entanto, o produto é altamente contraindicado pelos dermatologistas para esse procedimento em específico. 

Com a forte reação ao produto, a vítima teve infecções graves no corpo, que chegaram a necrosar e virar feridas.  Foi a própria mulher que denunciou os suspeitos a polícia, infelizmente ela não sobreviveu para ver eles pagarem pelo crime. 



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.