nossas redes sociais

Finança

Auxílio emergencial: beneficiários correm risco de ficar sem todas as parcelas de R$ 300


Diante das novas regras impostas pelo Governo, alguns beneficiários não irão receber todas as parcelas de R$ 300. O Ministério da Cidadania divulgou que existe um prazo de entrega das quatro parcelas restantes do auxílio emergencial. O prazo para receber as parcelas é até o mês de dezembro deste ano.

De acordo com esta regra, quem começou a receber o auxílio emergencial no mês de abril poderão receber as quatros parcelas restantes. Mas, os beneficiários que tiveram o auxílio depositado a partir de julho poderão receber só uma parcela de R$ 300. Já quem começou a receber o benefício em junho poderá receber até duas parcelas de R$ 300. Os beneficiários que receberam em maio irão receber até três pagamentos da extensão do auxílio emergencial.

Para as mães chefe de família, o auxílio ficou no valor de R$ 600.

Regras mais duras para receber auxílio emergencial

Outra regra que impede os beneficiários de continuarem recebendo o auxílio emergencial é a do vínculo empregatício. O benefício será cortado caso alguém que esteja recebendo volte a trabalhar. Outro ponto citado é a de que alguém que esteja aprovado para receber o auxílio estiver recebendo benefício previdenciário ou assistencial, do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal no período, também não recebem.

Foi alterada também a regra sobre a declaração do Imposto de Renda dos beneficiários (IRPF), que antes levava em consideração somente de 2018 para trás, agora será considerada também a de 2019.

Auxílio emergencial: quem receberá primeiro?

A Caixa Econômica Federal divulgou que a primeira nova parcela de R$ 300 do auxílio emergencial e R$ 600 para mães que chefiam a família, será paga no dia 17 de setembro. As pessoas que fazem parte do programa Bolsa Família serão as primeiras a receberem. A regra segue do mesmo jeito, que é pela ordem dos números finais do Número de Identificação Social (NIS).