Caso Henry: mãe do menino é ameaçada de morte em prisão

O caso de Henry: a mãe do menino enfrenta a morte na prisão, está perturbada e se recusa a ver um advogado.

O menino Henry mudou-se pelo país após ser brutalmente estuprado antes de sua morte.

Junto com seu padrasto, Dr. Jairinho, Monique Medeiros é acusada de participar do assassinato de si mesmo quando tinha apenas 4 anos. A mãe e o padrasto de Henry foram presos juntos na manhã de quinta-feira, às 8h, após o mês de investigação.


Ambos estão detidos em prisões separadas e são suspeitos de fraudar a investigação por meio de ameaças de testemunhas.

+  Brasil em oração! Leonardo é vítima de triste acidente durante explosão de um botijão gás e deixa todos preocupados

Em seguida, Monique e Dr. Jairinho receberam sentenças provisórias de prisão, ambos foram levados à 16ª Delegacia da Barra da Tijuca

onde está sendo investigado o caso do menino Henrique, prestaram depoimento e depois foram ao IML para execução de sentença de contravenção.

 O casal foi então enviado para a prisão. Monique está no Instituto Criminal Ismael Sirieiro, em Niterói, e sua primeira noite foi assustadora.

Isso porque a professora está tomando remédios controlados, mas ela não conseguiu dormir um piscar de olhos e ficou chorando a noite toda.

Na prisão, Monique será mantida afastada dos demais internos devido à trágica recepção que a aguarda.

+  Luto: Mulher tem morte súbita enquanto amamentava e filha morre engasgada com leite

Caso Henry: mãe do menino é ameaçada de morte

Segundo a coluna do UOL, a restrição de celas veio depois que Monique foi intimidada ao chegar ao presídio com as palavras “Uh, você vai morrer”.

Além disso, enquanto ele era transportado para sua cela, ele foi massacrado pelos prisioneiros restantes. Os dias de Monique na prisão são de choro e gritos.

Lembre-se de que a ambição e a ganância podem levar você às alturas, mas sua queda será maior do que você pode imaginar.

+  Jovem é morta, após ser esfaqueada por amiga, que queria testar se era psicopata

Assim como o pai de Henry, Leniel Borel diz que só podia fazer isso por ganância, outros também podem dizer que tudo o que a professora fazia dependia do luxo e da vida tranquila que ela tinha. Hoje ele sofre com isso.

Recusa visita de advogado

Na última sexta-feira (9), Monique recusou a visita do advogado ao local. O professor responsável pela defesa do professor, André França Barreto, que também defende Jairinho no caso. No entanto, até agora não foram divulgados detalhes sobre o motivo da recusa do réu.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.