Com fuzis, bandidos “tocam o terror” em Guarapuava e deixam população em pânico: “Vários homens armados”

Moradores de Guarapuava, na região central do Paraná, passaram por momentos de tensão neste fim de semana e uma série de vídeos expostos nas redes sociais deixou milhares de pessoas assustadas. Tudo aconteceu nesta madrugada de segunda-feira, quando um bando de homens armados acabou achando a cidade.

O grupo fortemente armado tentou assaltar uma empresa de transporte de valores e ainda tentou atacar a força militar da cidade, deixando o local fechado e em chamas. Segundo informações,  os criminosos atacaram um batalhão da Polícia Militar paranaense e atearam fogo em carros para fazer com que a polícia ficassem sem reação.

Os bandidos chegaram ainda a fazer alguns reféns e deixaram cerca de 5 pessoas feridas no ataque que virou um dos assuntos mais comentados do Twitter. Vídeos mostram como ficou a região durante o ataque que deixou os moradores em pânico. Nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira era possível ver blindados das Forças Armadas circulando pela cidade que virou uma zona de guerra, por conta da ação dos bandidos.


De acordo com o relatório policial, os criminosos conseguiram fugir, por volta das 5h45, em direção ao interior do estado. Ainda não se tem mais notícia sobre os ataques e sobre os criminosos que conseguiram escapar, eles bloquearam ruas e pistas, no intuito de prejudicar o avanço dos policiais da região.

Segundo o jornal local, o ataque dos bandidos lembra outro assalto ocorrido no estado vizinho, em 2020. Quando os moradores de Criciúma, em Santa Catarina, viveram momentos de terror na mão de ladrões fortemente armados que deixaram dinheiro jogado pelas ruas.

Agora uma investigação foi aberta para tentar apurar mais informações sobre o ataque brutal, os reféns feitos pelos bandidos já foram libertados e as vítimas que foram atingidas no tiroteio já foram levadas para uma unidade hospitalar e estão fora de perigo. Não foi revelado o número de criminosos que atacaram a empresa.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.