Filho de 2 anos de delegado morre com algo que todas as crianças brincam e médicos alertam; “Todo cuidado é pouco”

Um triste caso tomou conta das redes sociais, a morte de uma criança pequena virou um dos assuntos mais comentados da web e chocou milhares de pessoas. Segundo informações, o filho do delegado da Polícia Civil, Carlos Alberto Gomes Pereira, de 2 anos de idade veio ao óbito precocemente.

O pai do menino chegou a afirmar que tentou de tudo para salvar o filho, porém no final ele acabou não conseguindo e o menino morreu. De acordo com o delegado tudo aconteceu após ele se engasgar com uma tampa de garrafa pet.

+  BBB22: Rodrigo dispara contra Tiago Abravanel e recebe invertida do famoso; "Acabou o amor"

Na hora em que tudo aconteceu só estava o pai e o filho em casa. Agora ele revelou que está sendo acusado de negligência a respeito da morte da criança.


“Eu fiz de tudo para salvar a vida do meu filho. Quando ele engoliu a tampinha, estava próximo de mim, e o fez no momento em que eu estava organizando as coisas pós-almoço. Não houve falta de cuidado, ele estava sendo monitorado”, enfatizou o oficial ao comentar sobre a morte do pequeno.

+  Luto: Bebê de 1 ano morre após testar positivo para Covid-19 e ficar aguardando na fila de hospital; "Dor imensa"

Os médicos que atenderam o chamado de socorro, aproveitaram para fazer um alerta, pois todo o cuidado é pouco com crianças pequenas. Foi revelado que muitas crianças já vieram ao óbito por conta de objetos pequenos agarrados em suas garganta. “Assustado e sozinho, tentei identificar o que estava ocorrendo, mas, no momento de desespero, não consegui entender ou detectar o motivo. A reação que consegui ter naquele momento foi checar os sinais vitais, que estavam presentes”, afirmou Carlos Alberto Gomes Pereira.

+  Pastora causa polêmica ao cair “morta” dentro de igreja e só “ressuscita” quando fiéis pagam o dízimo

Em um desabafo extenso ele contou tudo o que aconteceu na hora em que perdeu o filho e gerou grande comoção. “Lá chegando, o médico imediatamente o atendeu. A equipe médica optou por chamar o Samu, que chegou após aproximadamente 30 minutos, o que aumentou ainda mais a minha angústia, já que não sabia o que estava acontecendo com o meu filho", revelou o delegado que afirmou que o quando a tampa foi tirada da garganta do filho dele o menino já estava morto.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.