Homem é acusado e detido por transmitir HIV para mulheres propositalmente e detalhes chocam

Um homem foi detido essa semana, acusado de um crime terrível contra várias mulheres. Segundo as autoridades, o homem é suspeito de transmitir doenças sexualmente transmissíveis (DST), de propósito para inúmeras mulheres e o caso acabou se tornando viral nos meios de comunicação.

Tudo aconteceu na cidade de Pontalina, Leovaldo Francisco da Silva, está sendo acusado de transmitir HIV para diversas mulheres com quem se deitou de forma proposital, ele que tinha conhecimento de sua condição não informava as vítimas que positivado.

Segundo as vítimas, ele insistia em ter relações sem proteção e nunca revelou que tinha HIV. O delegado responsável pelo caso, Leyton Barros, revelou que a primeira denúncia teria sido feita há 15 dias, e desde então mais de 6 mulheres procuram a delegacia local para denunciar o acusado.


Até o momento 3 das mulheres testaram positivo para o vírus, e elas alegam que contraíram o vírus do acusado.  A primeira vítima, decidiu procurar as autoridades após realizar alguns exames e verificar que estava contaminada. Segundo as notícias, a jovem buscou ajuda médica, depois que ouviu alguns boatos em sua cidade.

Assim que ouviu que Leovaldo Francisco era HIV positivo, ela fez alguns exames e acabou comprovando que estava com o vírus mortal. Depois que ficou espantada por ter sido vítima de um crime, ela foi até as autoridades e deu parte do rapaz. Para a surpresa de todos, Leovaldo negou seu crime, perante as acusações e gerou revolta.

O acusado chegou a alegar que não tinha conhecimento de que era positivo e só teve essa confirmação no começo de 2022, porém as mulheres afirmam que Leovaldo Francisco da Silva tinha ciente de sua condição antes disso, e ainda chegou a contar para algumas que tinha HIV depois de ter relações com elas.

Leovaldo agora é acusado de lesão corporal gravíssima. As autoridades ainda apreenderam o celular do homem, para ser analisado pela perícia a fim de investigar todas as provas contra o acusado.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.