Por unanimidade, Justiça confirma absolvição de acusado de estuprar Mariana Ferrer e gera revolta

O caso da jovem influencer e promoter Mari Ferrer, acaba de ganhar mais um triste capítulo que gerou revolta em toda a população e nos internautas de plantão. Foi revelado que o empresário André de Camargo Aranha foi absolvido em segunda instância pela Justiça de Santa Catarina no crime de abuso sexual.

André, vale lembrar é acusado de estuprar a promoter Mari Ferrer em um evento em Florianópolis, na época o caso se tornou um dos mais comentado, por conta de uma decisão da justiça, agora mais uma vez o jovem rico saiu impune e milhões de pessoas detonaram a justiça brasileira. 

+  Após se casar com o próprio filho, mulher se separa para se casar com a filha e o pior acontece

A decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina foi unânime e chocou a todos, assim que saiu o veredicto, o caso voltou a ganhar força nas redes sociais e o nome da jovem violentada se tornou viral, onde milhares de mulheres usaram suas redes sociais para mostrar sua indignação e revolta.


Vale destacar que em setembro de 2020, o empresário já havia sido absolvido em primeira instância. Sendo um dos assuntos mais controversos de todos, os internautas apontam que houve favoritismo no caso a favor do empresário, pelo fato dele ser rico, pois todas as provas foram contra ele e mesmo assim a jovem saiu prejudicada.

+  Após se casar com o próprio filho, mulher se separa para se casar com a filha e o pior acontece

Mari Ferrer chegou a acusar o jovem de tela dopado para que pudesse violentá-la em um evento fechado, porém o rapaz acaba de ser inocentado mais uma vez, pois foi alegado que não há provas suficientes contra André. No Twitter, uma onda de ódio acabou se formando e milhares de pessoas seguem comentando sobre a decisão inusitada.

+  Após se casar com o próprio filho, mulher se separa para se casar com a filha e o pior acontece

Segundo os advogados do empresário, ele não tinha como ter certeza se a jovem de fato não queria nada com ele, onde surgiu pela primeira vez o termo que também gerou revolta, “estupro culposo”. O termo se tornou um dos mais comentados no mundo inteiro, jornais de outros países noticiaram sobre o caso que segue sem pé nem cabeça.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.