Dona de clínica onde ator “Cabeção” era mantido em cárcere é presa pela polícia: “Estou livre”

Recentemente, a dona da clínica de reabilitação fechada, localizada no município de Pindamonhangaba, em São Paulo, local onde estava internado o ator Sérgio Hondjakoff, conhecido pelos brasileiros como “Cabeção”, acabou sendo presta nesta última terça-feira (19), no interior paulista. A mulher havia sido denunciada à Justiça através do MP (Ministério Público) pelo sequestro do ator e de mais 42 pessoas. Além dela, outros dois funcionários também foram detidos, permanecendo presos, de acordo com as informações do Portal G1.

+  Maju Coutinho entra às pressas para dar terrível notícia ao país

A responsável pela clínica ‘Resulta’ é Danielle do Amaral Calinho, alvo de ação do Ministério Público, após uma serie de denúncias que apontavam maus tratos e cárcere privado. A Polícia Civil não deu mais detalhes acerca da prisão até a publicação desta reportagem. A mulher foi encaminhada até a Penitenciária Feminina II, localizada em Tremembé, em São Paulo.

No dia 5 de agosto, as autoridades policiais haviam cumprido um mandado de busca e apreensão no local, encontrando, na ocasião, Sérgio Hondjakoff, ator responsável pela interpretação do personagem Cabeção, em Malhação, entre os anos de 2000 e 2006, e outras 42 pessoas em situação de cárcere privado. A princípio, Cabeção havia negado que tivesse sido resgatado, contudo, o ator decidiu gravar áudios aos fãs e seguidores, decidindo admitir a história.

+  Whindersson Nunes abre o jogo sobre encontro com Luísa Sonza, e cantora aparece beijando uma mulher: "Bissexual"

Eles estavam internados no local, que era identificado como uma clínica de reabilitação. De acordo com as informações do Ministério Público, as denúncias apontavam que os pacientes eram mantidos no local contra a própria vontade, algo que não é permitido por lei, sendo isolados, também, do contato com os familiares.

Na denúncia realizada contra Danielle e outros dois funcionários, foram incluídos, também, print de conversas de aplicativos de mensagens, onde familiares cobravam o contato com os pacientes, não obtendo retorno.

+  Bolsonaro se encontra escondido com William Bonner e bate-papo é descoberto: "Dá até vergonha"

Segundo a Polícia, os pacientes recebiam hamburger e salsicha como alimentação, com as família pagando de R$ 800 até R$ 1,2 mil pela internação.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.