Homens são atacados de forma assustadora e amarrados sem rou** em poste e detalhes chocam

Um caso chocante aconteceu na cidade de Puerto Vallarta, no México, quando vários homens foram encontrados em dias e locais diferentes amarrados em postes totalmente sem roupa de forma distinta e misteriosa. Todos eles foram espancados e tiveram a letra ‘R’ de ‘ratero’ marcada em sua cabeça.

Mesmo que o ratero signifique ‘ladrão’ em espanhol,não foi revelado quem foi o autor da façanha. Segundo informações 10 supostos criminosos foram achados da mesma forma e chocaram os moradores locais.

Segundo o Jornal do México, nenhuma queixa ou testemunha foi encontrada ou prestada contra esses 10 homens, no entanto a pessoa que fez justiça com as próprias mãos acabou ficando famosa em todo o mundo. Em Puerto Vallarta há uma ou mais pessoas que começaram a fazer esse tipo de justiça, pois as autoridades estavam de mãos atadas.


Os homens foram gravemente agredidos e humilhados, mesmo que seus crimes não tenham sido revelados, eles serviram de exemplo para toda uma região.

Foi revelado que todos os homens tinham hematomas por todo o corpo e foram encontrados distribuídos por toda a cidade de Puerto Vallarta. O último suposto ladrão foi amarrado em um poste no dia 16 de setembro e chocou os moradores ao ser encontrado de tal forma.

Ao falar sobre o 'crime' ele alega que foi abordado por uma série de homens  que o jogaram dentro de um carro e depois disso ele não se lembra de mais nada.Ao que tudo indica antes de ser agredido ele foi dopado, ou então tomou uma pancada forte na cabeça. Em  um dos relatos, foi revelado que o homem foi levado para uma fazenda.

Várias pessoas foram espancadas ao mesmo tempo e logo em seguida tiveram suas cabeças marcadas com a letra "R", segundo as vítimas, dessa forma eles seriam facilmente encontrados em qualquer lugar e não poderiam esconder o fato de serem ladrões.
 
A identidade desses “justiceiros” permanece oculta até os dias de hoje, a polícia jamais conseguiu encontrar um dos responsáveis pelo 'crime'.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.