Moradora de prédio de luxo agride cozinheira por ela ser negra e vídeo choca internautas: “Sua esquisita”

Um caso revoltante foi flagrado por câmeras de seguranças de um prédio localizado na Rua Oscar Freire, em uma área nobre de São Paulo. Elas  registraram o momento em que uma das moradoras do local partiu para cima de uma cozinheira apenas por ela ser negra e o caso teve grande repercussão nas redes sociais e gerou revolta.

Patrícia Brito Debatin, agora está sendo acusada de agressão e injúria racial contra a vítima, Eliane Aparecida de Paula. Segundo informações de testemunhas, a mulher estava no prédio a trabalho quando foi atacada por Patrícia. O ataque aconteceu na recepção do prédio e as imagens se tornaram virais.

Tudo teve início depois que Patrícia ofendeu verbalmente Eliane, enquanto a cozinheira aguardava sentada em um banco a chegada de um transporte para retornar para casa. Eliane chegou a confessar que foi agredida por ser negra e ouviu da boca da agressora a seguinte frase: “negra esquisita”.


Eliane relatou que a moradora do prédio passou por ela dizendo: “Que negra esquisita, que mulher esquisita, o que ela está fazendo aí?” e logo em seguida ela rebateu a fala de Patrícia chamando ela de racista. Assim que respondeu a moradora ela foi empurrada. Na hora, ela ligou para a polícia e fez a denúncia. 

Agora o caso vem sendo investigado e a gravação de como tudo aconteceu foi divulgada no YouTube, o vídeo chamou a atenção de milhares de internautas e virou motivo de debate. Na gravação é possível ver que após empurrar Elaine, a moradora se dirige até a porta de vidro da recepção para entrar no prédio e retornar ao seu apartamento.

Eliane tenta impedir a entrada de Patrícia para aguardar a chegada dos policiais e é mais uma vez vítima de agressão. A cozinheira tem os cabelos puxados, além de levar uma joelhada e ter sua cabeça socada contra a parede diversas vezes. O vídeo é forte e as cenas impressionam a ponto de Patrícia ser detonada por milhares de pessoas.

A briga só terminou depois que elas foram separadas por um funcionário do prédio.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.