Pastora pula de ponte na frente de fiéis e detalhes assustam: “Ela não aguentou a pressão”

Uma triste notícia mexeu com fiéis do país todo e gerou grande comoção no meio evangélico, a morte de uma pastora rendeu o que falar e chocou milhares de pessoas. Ela que tirou a própria vida de forma assustadora, teve os detalhes da triste decisão tomados e os detalhes deixaram todos aterrorizados.

O caso da pastora que se atirou de um viaduto no Rio de Janeiro circulou entre os assuntos mais comentados da internet. Identificada como Maria Helena, ela seria pastora de uma Assembleia de Deus na região e acabou não suportando a pressão do dia a dia e por conta disso deu um fim em sua vida.

Ela saltou da ponte Madureira, próxima à rodoviária Novo Rio, dezenas de pessoas estavam na hora em que ela se jogou, as pessoas tentaram ajudar a senhora de meia idade, porém foi sem sucesso, pois ela acabou morrendo na hora da queda. Fotos e vídeos mostraram a ação de Maria Helena.


As pessoas que passavam no local tentaram convencer Maria Helena a não se jogar, mas ela estava inconformada com seus problemas. “Quando identificada por alguns conhecidos, muitas tentativas foram feitas para que Maria Helena desistisse daquilo", contou uma das testemunhas que estavam no local.

Na hora uma corrente de oração foi feita, mas Maria Helena já estava decidida em colocar um fim em sua vida e acabou pulando para a morte. " Um cordão humano de oração começou a ser feito para sensibilizar a missionária e fazê-la desistir. Mas não teve jeito, assim que ela percebeu que alguém viria para resgatá-la, ela se jogou”, declarou a missionária Edna Alves.

Foi revelado que ela estava com problemas de depressão e chegou a ser alvo de comentários maldosos na igreja onde pregava e por isso ela desistiu de sua vida. 

“Depressão é algo muito grave e não escolhe classe social, crença, se a pessoa é bonita ou feia… Precisamos levar com mais seriedade e ajudar de verdade quem precisa e não achar que isso é frescura ou besteira!”, destacou Rita Santos em seu perfil ao falar sobre o caso.



PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.